Por que Graciliano Ramos?

O nome da Biblioteca da ENAP é uma homenagem ao escritor brasileiro Graciliano Ramos (1892-1953), reconhecido por sua obra literária e também por sua atuação como administrador público. Antes mesmo de ver publicados seus mais famosos romances, Graciliano Ramos ocupou o cargo de prefeito eleito de Palmeira dos Índios, município do sertão de Alagoas, onde se preocupou em fazer bom uso do dinheiro público em meio às condições adversas de pobreza, secas periódicas e práticas de compadrio e clientelismo.

No governo municipal durante pouco mais de dois anos, de janeiro de 1928 a abril de 1930, Graciliano Ramos aplicou o orçamento em empreendimentos de saneamento, em obras públicas, educação e remuneração de pessoal, eliminando gastos desnecessários, pagando dívidas e aumentando a arrecadação tributária. Ao afirmar, em um de seus relatórios governamentais, haver “quem não compreenda que um ato administrativo seja isento de lucro pessoal”, o prefeito recriminava o uso indevido, por detentores de cargo público, de recursos municipais em benefício próprio. Nesse sentido, a atuação do prefeito Graciliano Ramos, zeloso da prestação de contas, é um exemplo de moralização administrativa.

Na ENAP, o escritor foi escolhido como patrono do então Centro de Documentação, Informação e Difusão, recebendo homenagem póstuma na cerimônia de inauguração daquele Centro, ocorrida em 8 de julho de 1993: exposição, conferências e exibição de filmes sobre a vida e obra do autor marcaram o evento. Naquela oportunidade, quando também se comemorou o centenário de nascimento de Graciliano Ramos, compareceram seu genro James Amado, seu neto Rogério Ramos e sua bisneta Júlia Ramos. Em 2003, a atual Biblioteca manteve o nome do escritor, e também administrador, confirmando o valor de Graciliano Ramos como homem digno da função pública.

FONTES
Arquivo Geral ENAP, Documentos diversos sobre a inauguração do Centro de Documentação, Informação e Difusão Graciliano Ramos, 1993.
RAMOS, Graciliano. Relatórios. Rio de Janeiro: Record, 1994.
Resolução ENAP no 412, de 5 de agosto de 2003, publicada no Boletim Interno n. 8, de 7 de agosto de 2003.