Especialistas debatem estratégias e governança em 4ª sessão interativa do seminário internacional

04/09/15 - Os desafios e as experiências de estratégias e governança no século XXI foram temas da quarta sessão interativa do Seminário Internacional Papel do Estado no Século XXI: desafios para a gestão pública, que acontece nesta sexta-feira (4), em Brasília.

A sessão, que teve como moderadora a diretora de Comunicação e Pesquisa da Escola Nacional de Administração Pública (Enap), Marizaura Camões, reuniu pensadores nacionais especialistas no assunto, como a diretora do Instituto de Estudos Brasil-China (IBRACH), Anna Jaguaribe; a professora titular do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Ana Célia Castro; e o professor do Instituto de Estudos Sociais da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e coordenador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento (INCT-PEED), Renato Boschi.

Em sua explanação, a diretora do IBRACH, Anna Jaguaribe, apresentou o resultado de uma pesquisa de quatro anos que trata da experiência da China e as alternativas de reforma e estratégias socioeconômicas que vieram a constituir a ascensão e afirmação da China como segunda economia global. Segundo ela, “o crescimento da China, nos últimos 35 anos, se deu através da inovação. Eles [chineses] implodiram alguns modelos de governanças e reinventaram outros”.

Outro tema debatido na sessão foi a fronteira tecnológica e os desafios para a governança do conhecimento, com base nos estudos da co-evolução de empresas e outros atores em diferentes fases dos processos de transformação agrícolas no Brasil, à luz do modelo de catching up em curso. Segundo a professora titular da UFRJ, Ana Célia Castro, a existência de um consenso estruturado sobre quais setores merecem maior investimento é fundamental para o crescimento do país. Para ela, “o Brasil está na fronteira tecnológica da economia de baixo carbono”.

O professor da UERJ, Renato Boschi, fez uma apresentação sobre as capacidades estatais como desafio para as políticas públicas. De acordo com a pesquisa realizada por ele, os caminhos para a retomada do crescimento do país combinam elementos de trajetórias e recuperam o papel protagonista do Estado. “É preciso pensar novas capacidades estatais para promover uma agenda de desenvolvimento em políticas públicas, por meio de um novo projeto que inclua a participação civil e envolva inovação, políticas industriais, infraestrutura, formas de proteção social e sustentabilidade”, concluiu.

Clique aqui para acessar a apresentação da diretora do IBRACH, Anna Jaguaribe (Português).

Clique aqui para acessar a apresentação da diretora do IBRACH, Anna Jaguaribe (Inglês).

Clique aqui para acessar a apresentação da professora titular da UFRJ, Ana Célia Castro (Inglês).

Clique aqui para acessar a apresentação do professor da UERJ, Renato Boschi (Português).

Clique aqui para acessar a apresentação do professor da UERJ, Renato Boschi (Inglês).


Confira as fotos da sessão interativa (favor utilizar Mozilla Firefox ou Google Chrome):